Como aproveitar Roma e o Vaticano em 24 horas

Fui em pleno verão europeu, calor de 40°C e pouco vento. Se você também for durante o verão, meu conselho é: roupas leves, máquina fotográfica na mão, água na mochila e uma sandália confortável.

Roma tem muitos lugares interessantes para conhecer, mas todos estão sempre cheios de turistas. Então se você realmente quiser tirar uma boa foto, pule da cama bem cedo.

DCIM101GOPROG0671329.JPG
Vitoriano II

É possível chegar ao centro de transporte público. Existem linhas de ônibus que te deixam em frente à Piazza Venezia e de lá é possível se deslocar a pé para diversos pontos turísticos famosos. Assim que desci do ônibus já dei de cara com o monumento Vitoriano II e obviamente já comecei a ”surra de selfies”. É permitido entrar no local e a melhor parte… é de graça!

DCIM101GOPROG0651325.JPG

Há poucos metros dali encontra-se o Fórum Traiano e suas ruínas. Confesso que fui sem saber muito o que ver primeiro, então peguei o mapa, marquei os locais que eu queria conhecer e fui. Alguns vieram de brinde, já que eu tinha que passar por eles para chegar ao local desejado, o que, diga-se de passagem, foi ótimo. As ruas estreitas e as construções antigas são um convite para fotos!

20170709_115552
Fórum Traiano

Finalmente cheguei a tão conhecida Fontana di Trevi e para variar estava lotaaaada. O ideal é chegar até as 9:30 da manhã se quiser evitar a multidão. Cheguei por volta das 10:00 e não teve jeito, tinham muitas pessoas e todas aflitas por uma boa foto. Agora, imagina uma multidão e um calor de 40°C as 10 horas da manhã no sol? Sorte que era a Fontana di Trevi e como o próprio nome diz, tem uma fonte com muita água. Incrível a quantidade de gente que buscava se refrescar com um pouquinho da água da fonte.

20170709_120919
Fontana di Trevi

A tradição é jogar uma moeda e fazer um pedido, e é claro que todo mundo faz isso. Soube que funcionários da prefeitura recolhem grande parte dessas moedas a noite, caso contrário, as tubulações já estariam entupidas e não haveria mais espaço para tantas moedas.

Ao redor do local tem uma série de lojinhas e restaurantes. As lojas vendem de tudo! É válido fazer um passeio pelo local, principalmente se você for amante das compras. Dá até para comprar molhos prontos, massas artesanais e ervas diferentes para levar na mala.

Hora do almoço! Onde comer? Fácil! Como disse, tem um monte de bons restaurantes próximos a Fontana di Trevi. É só escolher! Mas como sei se é bom? Eu procurei no Trip Advisor e segui as dicas e comentários de quem já foi. Mas uma coisa todos eles tinham em comum: um excelente cardápio de massas. De antemão, já adianto que não é barato! Um prato de massa para uma pessoa custa de €15 a €20. Uma boa massa, pede um bom vinho para acompanhar, e a taça custa por volta de €6.

Meu tempo estava escasso e eu tinha que priorizar um outro local que sentia muita vontade de conhecer. O Vaticano! A Cidade do Vaticano estava a cerca de 2,5 km. Minha dúvida era: ir a pé, de metrô, ou de uber? Como sou adepta a aventuras, fui a pé! Ainda bem! No caminho passei pelo Partenon, que para variar, tinha uma fila quilométrica para entrar. Decidi dar uma voltinha por ali, tirar umas fotos e seguir em frente.

20170709_150126

Passei por diversas igrejas, museus, construções antigas e estátuas. Mal deu para notar a caminhada, pois fazia muitas paradas pelo caminho e aproveitava para conhecer bastante cada cantinho.

Após “gastar muita sola de sapato”, o encontro com a Cidade do Vaticano, que para minha surpresa, não estava cheia de turistas.

20170709_155027.jpg
Cidade do Vaticano

O lugar é belíssimo e tem uma energia incrível! É possível fazer um passeio guiado pelos museus do Vaticano que custa €64 por pessoa. Dizem que é melhor fazer pela manhã, pois é mais calmo. Como minha viagem era em esquema econômico, eu não fiz!

DCIM101GOPROG0751387.JPG
Vaticano
20170709_160642
Praça São Pedro, Vaticano

Ao fim do dia, aluguei um carro. Os locais alugam Scooters por €60 a hora. Mas como eu ia partir no dia seguinte rumo ao Sul da Itália em busca de praias paradisíacas, não tive outra opção a não ser enfrentar o trânsito caótico de Roma. E é bem tenso mesmo!

A noite você pode unir o útil ao agradável e matar a fome em um bom barzinho. No bairro Trastevere, próximo ao hostel onde me hospedei, tinham muitos bares atrativos e com boa música.

Ah, o hostel que fiquei era muito bom, então acho que vale a pena indicar. Chama-se Hostel Trustever. Bom atendimento, bom café da manhã, limpeza impecável e preço justo.

Por fim, posso dizer que Roma é uma cidade histórica, romântica e artística ao mesmo tempo. Me perdi várias vezes e encontrei um lugar bonito em cada canto.

2 comentários em “Como aproveitar Roma e o Vaticano em 24 horas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s